quarta-feira, 17 de abril de 2019

Temperos SEM Sal e um Alerta de Saúde para Empreendedores

Depois de alguns meses de pausa forçada, voltámos às receitas e ao blog!

Quem nos acompanha por aqui e pelas redes sociais, sabe que em 2017 criámos duas empresas na área do turismo: a Lisbon Corporation, uma boutique de experiências, e a Longitude9 Viagens, uma agência de viagens de charme. Eram sonhos com mais de uma década e 2017 foi o ano de transformar os sonhos em realidade. 

Contado assim dá ao nosso esforço empreendedor uma aura de determinação, coragem e foco mas também uma enorme necessidade de resiliência, persistência e resistência mental e física (e infelizmente fala-se pouco desta última característica quando o assunto é empreendedorismo). Esta é a verdade nua e crua para todos os que se lançam na incerteza de criar o seu próprio negócio: as preocupações e as horas de trabalho aumentam exponencialmente; somos gestores, telefonistas, estrategas, contabilistas, estafetas, marketeers e "pau-para-toda-a-obra-necessária"; temos de aprender a melhorar, dominar e ajustar continuamente a "ginástica" financeira e abdicamos da "rede" de segurança e de direitos, como aquele bendito número de dias de férias por ano que quem trabalha por conta de outrem tem como sagrado. 

É inegável que são as alturas em que alcançamos ou superamos objectivos e metas e em que vemos as "pequenas-grandes" vitórias finalmente acontecerem que fazem valer todo o esforço, dedicação e cansaço, mas é também inegável que temos (muitos e incontáveis) momentos em que a ausência de uma "rede" de segurança nos atinge em cheio e a seco no estômago! E são esses momentos em que as muitas noites em claro, as ansiedades, as preocupações e o volume de trabalho avassalador fazem mossa a sério. E quem paga, é sempre o corpo. E o meu começou a acusar tudo isto e de forma séria e assustadora desde Janeiro passado... 

Desde o início de Janeiro deste ano andei com a tensão arterial completamente alterada, com picos de tensão com máx. de 18 e mín. de 15 (isto numa pessoa que sempre teve a tensão baixa, máx. de 11 e mín. de 8). Precisei de ajuda do INEM (tão, mas tão grata ao pessoal médico e bombeiros que me assistiram nestes episódios!), do J. e, naturalmente, do meu médico. Afinal, o risco de AVC e enfarte do miocárdio ou ataque cardíaco é brutalmente elevado em episódios continuados de tensão arterial alta.
Ao longo dos últimos meses houve uma bateria de exames clínicos para fazer e, uma vez aferida, medida, diagnosticada e atestada a saúde física desta cozinheira/empreendedora, seguiu-se um enorme esforço pessoal de mudança de hábitos, mais descanso, realinhamento e equilíbrio mental e redução dos níveis de stress e, consequentemente, dos níveis de ansiedade.
E naturalmente, o blog também "pagou" a factura... Estivemos em pausa forçada nos últimos meses para "realinhamento" mental e descanso relativo, porque empreendedores em fases iniciais de negócio não tiram férias ou feriados e nem quando tocam com a cabeça na almofada desligam completamente das obrigações/preocupações.

As receitas que partilho hoje convosco e que celebram este regresso ao blog são o resultado parcial do realinhamento urgente e auto-imposto dos últimos meses: esta cozinha abandonou por completo o sal nas suas receitas. O sal foi à vida (para me ajudar a manter a minha com saúde), mas o sabor continua por cá e de forma imperativa, porque toda a vida precisa de sabor para ser feliz!
Cansei-me de misturar especiarias uma a uma na altura de cozinhar e criei 3 opções de Temperos SEM Sal prontos a usar. Já foram testados e retestados em receitas de massa, moluscos, peixes, carnes, saladas e estão aprovadíssimos! E arrisco que chegam na altura certa, porque estes temperos podem facilmente ser transformados em miminhos DIY para oferecer já esta Páscoa a familiares e amigos, hipertensos ou simplesmente que precisem de abrandar o ritmo profissional ou realinhar hábitos para terem mais saúde. 

Numa nota mais direccionada para os empreendedores(as) guerreiros(as) que tenham arranjado alguns minutos para ler este testemunho contado na primeira pessoa, deixo 10 sugestões para potenciar a resistência mental e física e que estão a funcionar muito bem comigo desde o "susto" dos últimos meses:

#1 | Abrandem o ritmo profissional: "fechem a loja" a horas certas durante os dias de semana e criem rotinas e horários certos para fazer as refeições (pequeno-almoço, almoço e jantar). Não saltem refeições, optem por menus equilibrados e sempre que possível jantem com a família ou amigos e sem telemóveis, telefonemas ou e-mails durante o jantar.

#2 | Durmam no mínimo 8 horas por noite. O cérebro precisa descansar e fazer "reboot" para encarar desafios de forma "fresca" e para isso o descanso cerebral é fundamental.

#3 | Abdiquem do sal e do tabaco e reduzam o consumo de cafeína e de álcool.

#4 | Se não tiverem horários para irem ao ginásio, deixem o carro sempre que possam e caminhem.

#5 | Sempre que possível, reservem (pelo menos) um dia do fim-de-semana para descansar. Mas descansar mesmo! Sem telemóveis, e-mails, redes sociais, blogs ou tarefas de casa. Saiam, respirem ar puro e curtam a vida lá fora, porque é lá que a vida acontece! 

#6 | Visitem o médico e façam um check-up anual. 

#7 | Se após os exames médicos se verificar que está tudo bem com a saúde física e o médico vos quiser convencer que a melhor maneira de lidar com a ansiedade é tomar calmantes ou ansiolíticos (como aconteceu comigo), rejeitem a proposta. Perguntem-lhes por alternativas naturais (que as há) e introduzam mais alimentos na vossa dieta diária que estimulem a produção de serotonina (considerada a hormona do bem-estar e da felicidade), como frutos secos/oleaginosos, chocolate negro, aveia, bananas e sementes (que podem usar como elemento de textura crocante para saladas ou para enriquecer o iogurte, p.ex.).

#8 | Comecem a manhã ou terminem o dia com alguns minutos de meditação (para mim continua a ser um desafio, mas devagarinho sinto que estou a progredir) para sossegar a mente e o turbilhão de pensamentos, necessidades e preocupações. Comecem devagar, com poucos minutos nas primeiras vezes (se for necessário, ponham um alarme no telemóvel) e vão aumentando o tempo progressivamente. Arranjem um mantra mental (uma palavra ou uma frase de conforto, de motivação pessoal ou de serenidade) e repitam-na durante o tempo de meditação, concentrando-se em inspirar pelo nariz e expirar pela boca.

#9 | Mantenham o cérebro a funcionar do ponto de vista da aprendizagem. Voltem à escola, façam cursos de curta ou média duração (longa, se tiverem vontade, tempo e cabeça para isso), leiam livros sobre temáticas relacionadas com os vossos negócios, mas aprendam coisas. Nunca saberemos tudo e são os novos conhecimentos que adquirimos que nos ajudam muitas vezes a responder "fora da caixa" às questões e desafios que nos surgem diariamente.

#10 | Nenhum de nós é uma ilha e tudo na vida, com excepção de uma coisa, tem solução. Aproximem-se de outros empreendedores, partilhem experiências e conhecimento e procurem conhecer os desafios dos outros. Escutem-nos activamente e sem juízos de valor. Isto, para além de potenciar o verdadeiro networking (para mim, o networking vai muito além da troca de cartões de visita), usualmente ainda nos ajuda a encontrar soluções para os nossos desafios que não estávamos a "ver" inicialmente.

Ahhhh... e, a todos vós, empreendedores, leitores e seguidores desta cozinha, votos de uma Santa Páscoa, com muita saúde física e mental!






[  Junte-se a nós no Instagram  ]


Nº Pessoas: 4
Tempo Prep.:  20 m.
Dificuldade: * (Fácil)
Ingr. Principal: Especiarias
Vegetariano: Sim
Para Crianças: Sim
Tipo Prato: Temperos
Festividade: N/A
Cozinha: De Autor

Ingredientes:  
Tempero 1
- 14 colheres de chá (cheias) de Salsa desidratada
- 3 colheres de chá (cheias) de Noz-Moscada moída
- 2 colheres de café (cheias) de Piripíri moído
- 3 colheres de chá (cheias) de Paprika em pó
- Raspa de 3 Limas (biológicas)

Tempero 2
- 6 colheres de chá (cheias) de Alecrim desidratado ou seco
- 3 colheres de chá (cheias) de Tomilho seco
- 3 colheres de chá (cheias) de Orégãos secos
- 3 colheres de chá (cheias) de Noz-Moscada moída
- 3 colheres de café (cheias) de Piripíri moído
- Raspa de 2 Laranjas médias (biológicas)

Tempero 3
- 12 colheres de chá (cheias) de Funcho
- 6 colheres de chá (cheias) de Tomilho seco
- 1 1/2 colher de café (cheia) de Pimenta Preta moída
- Raspa de 1 Limão grande ou 2 de tamanho médio (biológico)  

Também vai precisar de:
- 3 Frascos de vidro de 135 ml cada, com tampa de enroscar
- 2 Folhas de papel de rolo de cozinha ou 1/2 folha de papel vegetal
- Colheres de chá e café
- Almofariz e Pilão ou robot de cozinha 
- Ralador fino

Preparação:
Comece por lavar e secar bem os frascos de vidro e todos os citrinos (limas, laranjas e limão). Disponha o papel de rolo de cozinha ou papel vegetal na bancada de trabalho, colocando por cima o almofariz (ou robot de cozinha *) e as colheres que vai usar como medida. 
Misture as especiarias e a raspa de citrino indicada para cada tempero no almofariz (se cair alguma especiaria no papel de cozinha, enrole o papel e verta-a para o almofariz - não há desperdícios!), envolva tudo com a ajuda de uma colher e moa bem com o pilão. Transfira a mistura para um frasco (use uma colher), tape e guarde num local seco. Lave e seque bem o almofariz, o pilão e as colheres antes de começar a próxima mistura de tempero. Repita os passos anteriores até concluir os 3 temperos. **

* Nota: Ao usar o robot de cozinha irá obter um pó de especiarias perdendo por completo a textura das especiarias misturadas, por isso, escolha o utensílio de cozinha (almofariz + pilão ou robot) mais adequado ao resultado que preferir.

** Dica:
Adicione pitadas dos temperos na frigideira, na assadeira ou na panela ou crie uma marinada para carnes ou molho para saladas, colocando azeite q.b. numa tigela e adicionando um dos temperos à sua escolha (misture bem com uma colher antes de usar, de modo a que obter uma mistura homogénea).


Bom Apetite!


2 comentários:

Gabriela disse...

Obrigada!! Quero muito deixar de usar sal mas havia algumas comidas que não conseguia acertar. Pergunta: algum destes é mais indicado para algum tipo de alimento? Ou é bom para usar em tudo?

Ivete Pereira Hipólito [ blog COMIDAcomPAIXÃO ] disse...

Olá Gabriela!

Obrigada nós pela sua visita e pelo seu comentário. Se preparar os 3 temperos, cada aroma vai fazer-lhe lembrar certos alimentos:

- quando cheirar o tempero 1 depois de pronto, imediatamente vai lembrar-lhe uma churrascada, mas pode usá-lo também em omeletes, ovos estrelados, quiches, para temperar carnes brancas, hamburgueres (de carne e vegetais), etc.;

- o tempero 2 uso-o em carnes assadas no forno, em molhos para salada, também em quiches, em molhos de tomate para acompanhar massas, etc.;

- quanto ao tempero 3 uso-o para peixes, moluscos, temperar alguns vegetais na altura de cozinhar e também em molhos para salada. Repare que o Funcho tem um ligeiro travo a anis, harmoniza particularmente bem com a raspa de limão (ingrediente deste tempero também) e ambos ficam perfeitos com salmão, p.ex.

Prepare os temperos, coloque as tampas, agite bem os frascos e volte a abri-los um a um e vai ver que descobre por si própria uma série de associações a outros ingredientes (o que a vai inspirar na altura de cozinhar).

Desejo que seja bem sucedida neste desafio de abandonar o sal e vai ver que não lhe vai custar nada se experimentar estes temperos cheios de sabor! Depois de experimentar conte-me como correu e o que achou, que vou gostar muito de saber, Gabriela!

Votos de uma Santa Páscoa, um beijinho para si e até à sua próxima visita a esta cozinha!