sábado, 28 de janeiro de 2023

Onde Comer em Santarém | Restaurante Oh!Vargas

Como já partilhei aqui no blog, a minha família paterna é ribatejana e gosto muito desta região portuguesa. Sinto-me em casa por lá ou não tivesse eu costelas escalabitanas!

Numa das minhas últimas visitas a Santarém fui conhecer o Oh!Vargas, num almoço de fim de semana. As temperaturas andavam (bem) mais quentes, ainda pude usar saia sem enregelar e degustar uma refeição deliciosa e tranquila na esplanada do restaurante. E que bem que se está por lá, dentro ou fora de portas!

Começou por ser taberna, fundada pelo avô do clã Vargas, e servia lanches e leitão assado nos anos 60 (do séc. XX) mas foi pelas mãos dos pais de Manuel Vargas que se tornou restaurante, na década seguinte. O Oh!Vargas soma três gerações no comando e, agora pelas mãos de Manuel e da esposa Teresa na gestão e pelas do chef Rui Lima Santos na cozinha, segue o caminho da excelência, focado numa oferta de qualidade, quer no serviço, quer nos ingredientes que compõem os pratos, quer nos vinhos que podem ser harmonizados com a ementa.
Este restaurante possui uma garrafeira com cerca de 500 referências nacionais e internacionais, com destaque para os vinhos do Tejo, que decora uma das paredes centrais do espaço e que arrecadou o galardão de Melhor Carta de Vinhos na cerimónia Tejo Gourmet 2022. Também no mesmo ano, o chef da casa, Rui Lima Santos, venceu a categoria de Novo Talento dos Prémios AHRESP (Associação da Hotelaria, Restauração e Similares em Portugal) e quem lá vai experimentar a sua cozinha percebe bem porquê: criatividade com uma pitada de irreverência, respeito pelas raízes da cozinha tradicional da região e do nosso país, ingredientes de primeiríssima qualidade e técnica culinária.

Quer para os amantes de vegetais, peixe, moluscos ou carne, este é um restaurante que merece mesmo um almoço ou jantar demorado. Com a cara-metade (o Dia dos Namorados, que são todos os que se queiram, mas diz o calendário que está aí a chegar), com a família ou com os amigos, o Oh!Vargas merece a sua visita muito em breve e a cidade de Santarém também!

 

 Junte-se a nós no Instagram



Restaurante Oh!Vargas
Estrada Nacional 3, Nº 28, 2005 Santarém, Portugal
Reservas: +351 910 260 743

sábado, 14 de janeiro de 2023

Lifestyle | Os meus indispensáveis e...

...um desafio pela saúde do fígado

Há cerca de 13 anos, a coincidir com a altura em que deixei de fumar, foquei-me no minimalismo quanto ao que entra na minha mala/bolsa diária. Ainda gosto de usar os meus "malões" (estilo shopper tamanho XL), mas deixei de os utilizar por sistema no dia-a-dia. Desde então, uso bolsas (bem) mais pequenas que caibam na mochila do pc, no trolley de trabalho e, claro, também nos "malões" que uso mais esporadicamente.

Facto é que, numa bolsa, mochila, trolley ou num "malão", os indispensáveis diários de que não abdico são cada vez menos e estão cada vez mais pequenos: porta-cartões e porta-moedas; uma bolsa pequena de higiene; um saco de compras em pano; os meus benditos óculos de leitura (cada vez estou mais pitosga e já estou nas progressivas...) e os de sol; um pacote de lenços de papel; um caderno quadriculado e a minha caneta de tinta preta preferida; o telemóvel (obrigatório) e uma garrafa de água reutilizável.

Recuso-me a sobrecarregar a coluna (e os ombros) com mais do que isto, em nome da moda ou da ideia démodé que "uma mala faz sempre uma senhora mais composta". Tal como me recuso a utilizar ou comprar garrafas de água de plástico, principalmente as de utilização única. Por isso, também em nome da sustentabilidade (ambiental e económica), ando sempre com a minha garrafa de água pessoal, que vou enchendo ao longo do dia (e da noite) e que mantenho por perto, até na mesa-de-cabeceira.
Esta da foto é de inox, tem 750 ml de capacidade e garante-me que sei sempre quanta água consumo por dia: 2 refills bastam para saber que bebi 1,5 litro de água e como a reabasteço 3 vezes ao longo do dia, sei que consumo, regra geral, mais de 2 litros de água diariamente.

E porque acabamos este post a "falar" do consumo e ingestão de água e
as pequenas conquistas também se celebram, partilho que amanhã é dia de "festa" por aqui!
Decidi no final de 2022 que Janeiro seria um mês de desintoxicação ao fígado: Novembro (por ser o mês do
meu aniversário) e Dezembro (pelo Natal e passagem de ano) trazem sempre exageros em fritos, gorduras e açúcares e também em vinho, por isso, Janeiro passa a ser, a partir de 2023, mês SEM álcool para esta cozinheira. 31 dias consecutivos sem consumir vinho ou qualquer outra bebida alcoólica, a pensar na saúde do fígado e aderindo à iniciativa mundial #31DiasSemAlcool, apadrinhada no nosso país pela Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado.
Amanhã, dia 15, chego a meio deste desafio, cumprindo metade daquilo a que me determinei e celebro esta "meia meta" com 60 minutos de jogging, pois claro!

E você, sabia que está sempre a tempo de aderir a esta iniciativa e começar hoje os seus 31 dias SEM álcool?


 Junte-se a nós no Instagram



Bom fim de semana e faça o favor de cuidar de si e do seu fígado!
 

sábado, 31 de dezembro de 2022

Desejos de Ano Novo...

Eis as 3 palavras-mantra que elegi para o ano que está a chegar:

(inabalável em mim própria, nas minhas capacidades e competências e no Universo).
Foco (nos meus objetivos e planos pessoais para este novo ano).
Sucesso (no caminho que trilho, no que determino para a minha vida e nas metas que quero alcançar nos próximos 12 meses).

E você, já definiu as suas palavras-mantra para o novo ano de 2023? Quais são elas?



 Junte-se a nós no Instagram



Encerre-se o velho, celebre-se o novo! Que 2023 seja um dos anos mais felizes das nossas vidas!
 
A si, em particular, que nos faz companhia aqui no blog e nas nossas redes sociais e também aos nossos parceiros, família e amigos, deixo um enorme OBRIGADA por estar(em) connosco!

sábado, 17 de dezembro de 2022

Feliz Natal

E num piscar de olhos, as páginas voaram do calendário, chegámos a Dezembro e já é Natal... 

Num mês quase sempre a mil, valem-me estes breves momentos de paz: um expresso de café acabado de moer, uma fatia de Bolo Rainha ou uma Broa Castelar gulosa a acompanhar. Inspirar, expirar, degustar e abrandar. Ahh e uma vela acesa ou o quentinho das luzinhas de Natal a acenderem devagarinho.

Não sei como é convosco, mas no Natal que guardo nas minhas memórias mais longínquas, havia tempo. E era tempo com cheiros e sabores.
Havia cheiro a musgo que se ia apanhar à mata e que era a cama das dezenas de figuras
de barro do presépio que fazia com a minha avó, aroma a pinheiro manso num vaso com areia transformado em árvore de Natal...
Havia sabor a Pastéis de Bacalhau, Filhós, Azevias de Grão e Sonhos de Abóbora com Calda de Porto, Limão e Canela da mãe e da avó. Havia azáfama também, usualmente na cozinha, mas era uma azáfama vagarosa, com conversas a serem postas em dia e risos de 3 gerações.

No Natal das minhas memórias, lá atrás no tempo, havia tempo para se fazerem presentes manuais* (de comer ou de vestir), ensinamentos sobre valores, sobre compaixão, sobre amor e também havia tempo para estar presente. E é isso que é, ainda, e será sempre, para mim, Natal.
Por isso, mais do que carregados de prendas caras para oferecer, estejamos. Presentes. Numa época em que apesar de tão conectados digitalmente vivemos cada vez mais sós, estejamos nesta quadra verdadeiramente presentes. Sem ecrãs pelo meio e sem o pensamento noutro sítio. E que tenhamos como objetivo para 2023, mais compaixão e amor por todos os seres: não só pelos animais ditos irracionais, mas também por nós próprios, pelas pessoas da nossa família, pelos nossos vizinhos, pelos colegas de trabalho, pelos desconhecidos na rua, na estrada e no supermercado.

Votos de um Santo Natal, pessoas bonitas! E façam da vossa presença o melhor presente deste Natal.



 Junte-se a nós no Instagram


 
* Se também gostam de preparar miminhos manuais para oferecer no Natal ou noutras datas especiais e precisarem de inspiração, espreitem as nossas sugestões aqui.

Bom fim de semana!
 

domingo, 20 de novembro de 2022

#44

E assim, de repente, passaram 44 anos.

Caramba, 44! A derradeira capicua quarentona... A idade desta década pessoal em que já não dá sequer para brincar, aligeirando a seriedade de mais um ano somado, invertendo os dígitos.

44 anos, 53 kgs de peso, 77 cm de perímetro abdominal (um espanto, segundo a minha médica de família), algumas rugas de expressão, bastantes cabelos brancos, muita experiência de vida, muito mundo na bagagem, a saber cada vez melhor quem sou, o que gosto e o quero para mim e para a minha vida. 

E visto assim, por este prisma, não está mal. De facto, não está nada mal, não senhora.

Hoje é dia de festa por aqui!
E, como em todos os outros anos, nesta data, só faço o que quero e o que gosto, onde quero e onde gosto, com quem quero e com quem gosto. E de, mais do que celebrar a chegada de um novo ano de vida, celebrar toda a minha vida até aqui, "apropriando-me" do refrão da música de Sérgio Godinho, que segue assim: "hoje é o primeiro dia do resto da minha vida".

Venham os 44!



 Junte-se a nós no Instagram



Bom resto de domingo e boa nova semana!
 

sábado, 5 de novembro de 2022

O Caminho faz-se caminhando

Não é segredo que a minha modalidade desportiva de eleição é o jogging, mas também gosto muito de hiking em serra. Na do Louro, na da Arrábida, na de Sintra, na de Monchique, na de Aires e Candeeiros, na da Lousã...

Sinto que recarrego as "baterias" e que faço um restart ao cérebro perto da natureza, facilmente caminho durante horas e aguento bem 15, 20 km seguidos de uma vez. E por isso (e também por outras razões), um dos meus objetivos para 2023 é fazer uma parte d' O Caminho de Santiago.

O meu "caminho" pessoal, entre a infância, a adolescência e o início da idade adulta, passou pela vida ativa na igreja católica. Catequese, primeira comunhão, profissão de fé, crisma, escuteiros e grupo de jovens, todas estas atividades ajudaram (para além da educação familiar) a construir a pessoa que sou hoje: os meus valores pessoais, o meu sentido de ética e integridade, de compaixão, de amor ao próximo, de resiliência, de liderança, de respeito e humildade pela natureza e pelo que ela nos dá... 

E sim, talvez, por ainda ter vivo no coração o meu lado escuteira me sinta tão em harmonia junto da natureza e, agora, na casa dos 40, pretenda através d' O Caminho reaproximar-me dessa fase que me construiu enquanto pessoa. Confesso também que a aventura e o desafio físico estão a "chamar" por mim.

O equipamento necessário já existe, por isso, é desenhar um plano de treinos que me preparem para mais de 100 km em 5/6 dias consecutivos e, a seguir, treinar com motivação, disciplina e fé, em mim e em Deus ou, se preferirem, no Universo.

Hoje foi dia de pegar nas botas de montanha e ir fazer, mais uma vez, os Passadiços da Mata dos Medos, no concelho de Almada. Uma hora de caminhada, dentro dos passadiços e também fora, na mata propriamente dita. Encher os pulmões de ar puro, ver o pôr-do-sol a beijar o mar... 

Algures neste caminho, saí dos passadiços, mas como é Outono e anoitece cedo, foi ficando rapidamente mais escuro e mais húmido no meio da mata... Quis voltar aos passadiços, mas durante alguns (longos) minutos caminhei sem referências. Até que me surgiu isto: uma seta enorme desenhada (no chão à minha esquerda, cerca de 1 metro de onde eu estava) por alguém a quem, eventualmente, tenha acontecido o mesmo. Vi a seta, olhei para onde apontava e a poucos metros dali, entre a vegetação, consegui ver os pilares dos passadiços. Sorri e agradeci ao Universo e ao amigo desconhecido que desenhou esta seta no chão daquele local. 

A minha conclusão?

Se prestarmos atenção, a Vida dá-nos sempre sinais da direção. Isso e ombros amigos para nos apoiarmos.

SIGAMOS!



 Junte-se a nós no Instagram



Bom fim de semana!
 

sábado, 1 de outubro de 2022

Queijinhos de Cabra marinados em Azeite, Orégãos e Laranja

#pub
Este não é um post patrocinado, mas há menção a uma marca de que sou consumidora regular e que me fez chegar as laranjas biológicas (orgânicas) que aqui usei.


Sou cliente frequente d' A Padaria Portuguesa há já uns anos: gosto dos produtos, do atendimento e da decoração das lojas. Este ano a marca reposicionou-se, focando-se ainda mais na escolha de ingredientes de origem portuguesa, biológicos e na economia circular. E é deste reposicionamento recente que nasceram novos produtos com novos sabores e novas combinações de ingredientes e que, das cascas das laranjas bio que usam para os sumos naturais nas suas lojas, criaram uma compota (gulosa). Fizeram-ma chegar para eu experimentar, num cesto de verga que continha também laranjas nacionais e biológicas, e achei-a absolutamente perfeita para casar com queijos de sabor salgado e forte (como este que usei para esta receita). E o que esta compota gulosa d' A Padaria alegra uma tábua de queijos, frutas e frutos secos, hã?

Foi inspirada pelo combate ao desperdício alimentar, pela reutilização (dando nova vida aos frascos de vidro de outros produtos) e celebrando a qualidade dos nossos produtos biológicos (as laranjas docinhas d' A Padaria Portuguesa), que criei estes Queijinhos marinados em Azeite, Orégãos e Laranja.

Um petisco simples. Simples de preparar e simples de degustar. Para um jantar leve, depois de uma sopa quentinha, a molhar o pão no azeite aromatizado e alternando com uma fatia de queijo de cabra atabafado cheio destes sabores rústicos; ou para uma refeição de petiscos, partilhada com amigos e/ou família, entre dois dedos de conversa boa e um (ou mais) copos do seu vinho de eleição.

A receita desta nossa delícia chega num formato diferente ao que costumo partilhar aqui no blog: num vídeo curto, que partilhei no nosso Instagram e a preparação está descrita no próprio vídeo. Clique na fotografia em baixo e vai dar ao post e à receita.
Aproveito para lhe sugerir que nos acompanhe também por lá! Há mais receitas, dicas e ideias a serem partilhadas nesta nossa rede e muitos desses conteúdos são só para a nossa comunidade do Instagram. 

Fica a sugestão e a receita... Vemo-nos por lá?

 

(Clique na foto para ver o vídeo da receita)

 Junte-se a nós no Instagram



Bom fim de semana!

sábado, 10 de setembro de 2022

Sugestão para Wine Lovers | Conde de Arraiolos

Hoje houve despedida ao Verão e a rigor!

Os próximos dias serão de tempestade e vem aí, finalmente, chuva. Não que me apeteça particularmente que o calor acabe, mas dizem os especialistas que a tempestade Danielle trará a bendita água do céu que Portugal precisa desesperadamente, pois desde 1931 não se conhecia um ano tão seco.
O mais provável é que se estenda até dia 22 de Setembro, data em que chega o Outono ao hemisfério norte, por isso, hoje foi dia de celebrar o fantástico Verão que tive este ano. Tão, mas tão grata por esta "barrigada" de sol, de mar, de sal no cabelo e na pele, de pés na areia, de tez bronzeada como não tinha, acho que, desde a adolescência!

Tinha prometido a mim mesma que esta garrafa de branco alentejano que estava guardada no frio há uns meses, viria comigo para a praia antes que o Verão deste ano terminasse. Que o beberia no final da tarde, quase com o sol a pôr-se, num copo a preceito e sentada na areia molhada, junto ao mar. E foi isso mesmo que fiz.

Trouxe fruta e frutos secos para acompanhar este suavemente frutado Conde de Arraiolos, branco da Herdade das Mouras (de Arraiolos) com as castas Antão Vaz e Arinto, e adicionei-lhe um "detalhe de malvadez" delicioso! Uvas brancas que congelei para colocar no copo e ajudar a refrescar o vinho.
E enquanto degustava o meu vinho à beira mar, comia um e outro bago de uva, de chapéu na cabeça e óculos de sol, brindei à vida, a este Verão, a mim (que mereço!) e à sorte do caroço que é poder fazer isto num país seguro como o nosso!



Junte-se a nós no Instagram



Veja todas as nossas sugestões vínicas no álbum Wine Lovers do nosso Instagram e...
 

Saúde, gente gira!

sábado, 27 de agosto de 2022

Para Visitar em Almada | Ginjal

As minhas memórias tiveram sempre cheiro a Tejo. 

Nasci e vivi quase 20 anos na margem norte, na sul vivi mais de outros tantos.

Um rio, duas margens e apenas a uma delas chamei sempre de casa.


 Detalhes do Ginjal, Almada

 


Descubra mais das nossas fotografias, sugestões e dicas no Instagram e...

Bom sábado!

sábado, 13 de agosto de 2022

Das coisas simples...

Há receitas assim... Simples e boas. Que nos fazem viajar a cada dentada. Esta é uma delas e tem "sabor" à cidade que nunca dorme, Nova Iorque.

5 minutos de preparação e em metade desse tempo, devora-se! 

Torre levemente (ou aqueça somente) o bagel, barre cada metade com queijo creme, tempere com pimenta preta acabada de moer, salpique com cebolinho fresco picado e termine juntando 2 (ou 3) fatias de salmão fumado. 

Acompanhe com um copo do seu vinho branco favorito e delicie-se!



 Junte-se a nós no Instagram



Bom fim de semana!